Workshop apresenta Plano de Desenvolvimento no Itaqui

16-12-2010 17:38

O Plano de Desenvolvimento e Zoneamento do Porto do Itaqui (PDZ) está sendo revisado para acompanhar as mudanças econômicas pelas quais o Maranhão deverá passar nos próximos anos. Serão feitas novas estimativas de cargas e os impactos que essas operações deverão ter sobre as instalações, equipamentos, infra-estrutura e o meio ambiente, além dos investimentos necessários para adequar o porto maranhense ao futuro.

O trabalho foi iniciado em novembro com coleta de dados e diagnóstico operacional e deverá ser finalizado em fevereiro de 2011. Depois de concluído o levantamento preliminar, será realizado um workshop com a comunidade portuária e investidores, com o objetivo de apresentar os primeiros resultados e solicitar colaboração na obtenção dos dados necessários às etapas seguintes do trabalho.

A Planave, empresa responsável também pelo PDZ dos portos de Suape (PE), Vila do Conde (PA) e Sepetiba (RJ), fará em seguida a projeção de cargas para atender novos empreendimentos do Maranhão num horizonte de até 20 anos. Um novo encontro será realizado para apresentar as informações e discutir a atual estrutura disponível no Porto do Itaqui. Em trabalho de campo realizado no mês passado, a equipe da Planave reuniu-se com empresas como Granel Química, Vale, NNSX, Transpetro, Temmar, Pedreiras Transportes, Costa Norte e COPI.

"O PDZ faz recomendações de como o Itaqui deverá se organizar e se desenvolver até 2030", explicou a consultora da Planave, Marta Fornari. Isso inclui estabelecer áreas de expansão, cargas possíveis de operar, multiuso dos berços, melhorias operacionais, diagnóstico ambiental, além de recomendação de equipamentos, melhorias na produtividade e procedimentos.

Todo esse ordenamento, entre outros aspectos, terá que contemplar, por exemplo, a operação de novas cargas em contêiner, cimento; importação de carvão para o projeto Onça-Puma da Vale e para UTE Porto do Itaqui, além do Projeto do Terminal de Grãos do Maranhão (Tegram). Estes são alguns dos novos negócios que contam com a infra-estrutura portuária.

Convênios - Em novembro, a Emap consolidou acordo internacional com os Portos de Sine e de Aveiro, situados em Portugal. O intercâmbio terá como objetivo promover permuta de informações referentes às movimentações operacionais de navios de carga em cada porto conveniado, projetos de desenvolvimento de infra-estrutura portuária e pesquisas de marketing.

Mais

O PDZ anterior, elaborado pela DTA Engenharia, foi atualizado em 2008 e aprovado pelo Conselho de Administração Portuária (CAP) no ano passado. As projeções feitas servem como base para planejamentos futuros e devem ser periodicamente revisadas, assim como ter flexibilidade para acompanhar as mudanças que ocorram no campo da economia.

(O Estado do Maranhão ed:17.656; Primeiro Caderno; Portos- pág. 08)

Contacto

Clipping

Av. Prof. Carlos Cunha, S/N, Edifício Nagib Haickel - Calhau.

(98) 3235-8621